Surdez

Simbolo Surdez

Audição é o sentido responsável por captar as informações sonoras que nos rodeiam, sejam elas sons de palavras ou não. Se você tem uma perda auditiva, ou conhece alguém que tenha, não está sozinho. Pelo menos 20 milhões de brasileiros tem diminuição de audição.

As causas podem ser várias, desde problemas menores como diminuição na irrigação sanguínea do ouvido até mais sérias como tumores cerebrais. Estes problemas também ocorrem como parte do processo de nosso envelhecimento. A partir de 55 anos de idade a audição pode começar a diminuir como acontece com a visão em idade ainda menor. Esta diminuição normal da idade varia muito de pessoa para pessoa e está normalmente ligada a herança genética, a condições anormais a que o ouvido foi exposto durante a vida (barulho intenso, infecções, etc.) ou a doenças gerais como hipertensão arterial e diabete que podem afetar o ouvido.

A surdez pode causar problemas emocionais e psicológicos, alterações de aprendizado, alterações de fala, problemas profissionais no trabalho, insatisfação e solidão.

A maioria das pessoas com perda auditiva podem ser ajudadas por meio de tratamento médico, cirúrgico ou de aparelhos de audição.

TIPOS DE SURDEZ

Existem basicamente 2 tipos de surdez:

  • A surdez de condução;
  • A surdez neurosensorial, que ocorre no nervo auditivo ou na cóclea.

As vezes a pessoa pode apresentar problemas de condução e neurosensorial juntos. É o que chamamos de surdez mista.

A surdez de condução é a menos comum. Afeta o ouvido externo ou médio e acontece quando as ondas sonoras não são bem conduzidas para o ouvido interno.

A surdez do nervo auditivo ou da cóclea (neurosensorial) é aquela que ocorre quando a cóclea que é o órgão interno da audição não consegue transformar a energia mecânica da vibração que o som produz em energia elétrica para transmiti-la ao cérebro que irá entender o som.

CAUSAS

Existem a surdez congênita e a adquirida. Na surdez congênita encontram-se aqueles que nascem surdos, e existem três grupos principais:

  • Hereditárias: Causadas por influências genéticas, por exemplo as síndromes geneticamente determinadas;
  • Pré-natais: Causadas por influência nocivas sobre o embrião durante o desenvolvimento, por exemplo: a mãe adquirir rubéola; toxoplasmose; sífilis; sofrer radiação; apresentar anemia severa; distúrbios metabólicos durante a gestação;
  • Perinatais: Causadas por influências que podem ocorrer no momento do nascimento, algumas horas, ou até nos primeiros dias de vida, por exemplo, a falta de oxigenação no cérebro (anóxia), hipóxia, prematuridade, baixo peso, traumas de parto, Kernicterus (depósito de bilirrubina no sistema nervoso central e eritroblastose fetal (incompatibilidade do fator RH).

Na surdez adquirida encontram-se aqueles que nascem com a audição normal, mas por algum fator patológico ou acidental perdem a audição. Encontramos diversos fatores como:

  • Infecção viral;
  • Lesões;
  • Toxicidade farmacológica.

Podemos citar alguns exemplos:

Otites (Infecção Viral): Infecções na orelha média ou externa;

Paralisia Facial (Infecção Viral): Doenças viróticas: caxumba, sarampo, catapora.

Ototoxicidade (Toxicidade farmacológica): Uso prolongado de antibióticos: neomicina gentamicina, estreptomicina, e também uso prolongado de diurético analgésicos e antipirético.

Pair ou Pairo (Lesões): Perda auditiva induzida pelo ruído (ocupacional), como nos casos de indivíduos que trabalham como motoristas e que trabalham em indústrias.

Trauma Acústico: Pancada na região da orelha, estouro de uma bomba ou tiro próximo ao ouvido.

QUANDO PODE SURGIR A SURDEZ?

Durante a gestação – infecções materna como rubéola, toxoplasmose, sífilis, herpes; uso de drogas ou medicamentos ototóxicos; incompatibilidade sanguínea pelo fator RH entre a mãe e o filho; e hereditariedade (genético).

Recém-nascidos – história familiar de deficiência auditiva congênita; infecção congênitas como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes; anomalias craniofaciais; peso inferior a 1.500g; entre outras.

Jovens e adultos – infecções virais e bacteriológicas, como meningite, caxumba e sarampo; infecções no ouvido; medicamentos ototóxicos; exposição a produtos químicos; traumas cranianos; exposição ao barulho; presbiacusia (diminuição da audição em decorrência da idade); doenças que alteram a circulação de sangue no ouvido interno como diabetes; hipertensão e colesterol elevado.

Normalmente os problemas de surdez de condução podem ser resolvidos por tratamento médico (remédios) ou por cirurgia.

Comentários fechados.